Ir para o conteúdo
calcular horas extras

Aprenda como calcular as horas extras e quando existem acréscimos

O tema pode parecer complexo, mas calcular as horas extras não é um bicho de sete cabeças. Aliás, é uma tarefa rotineira para o RH em cada fechando de folha de pagamento ou ao verificar se o colaborador cumpriu com a sua carga horária. Seja como for, é fundamental saber como calcular as horas extras seja em um dia normal, horas extras noturnas, fim de semana ou feriado.

Sendo assim, preparamos um material completo sobre o cálculo das horas extras e como essa conta pode mudar de acordo com o dia e horário em que foram trabalhadas essas horas a mais. O que é uma informação importante para o RH!

Sem mais delongas, deixamos abaixo nosso índice se você deseja pular para um assunto específico sobre como calcular as horas extras. Boa leitura!

Índice

Entenda o que diz a CLT sobre as horas extras

É importante tanto para o setor de gestão de pessoas quanto para os colaboradores terem transparência quanto ás horas extras. Aliás, nem toda empresa permite horas extras. Mas se for o caso, o documento que regulamenta as horas extras é a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Segundo a lei, o trabalhador pode ter uma jornada de trabalho de até 44 horas semanais com 8 horas de trabalho diárias.

No entanto, por alguma exigência nas funções, o trabalhador pode precisar ficar mais tempo na execução das seus responsabilidades. Portanto, é obrigação da empresa pagar por essas horas extras no próximo holerite. Ouro ponto relevante é que a legislação trabalhista determina que um acréscimo mínimo de 50% no valor da hora de trabalho do colaborador quando ele faz horas extras.

Além disso, antes as horas extras só podiam ser autorizadas mediante acordo com o sindicato ou coletivo da categoria. Com a Reforma Trabalhista, isso mudou. O profissional e o empregador agora podem entrar decidir por assinar um acordo individual.

Caso a empresa não precise pagar as horas extras, saiba que a situação deve estar descrita no artigo 62 da CLT: quando a empresa não precisa pagar hora extra.

Dito tudo isto, e que você já sabe como um colaborador se encaixa para receber horas extras, vejamos como é calcular horas extras!

Como calcular as horas extras?

A conta é simples. Primeiro, é necessário descobrir quanto vale a hora de trabalho do colaborador em questão. Para isso, é necessário conhecer a sua jornada de trabalho, ou seja, quantas horas por mês ele trabalha. Vejamos um exemplo:

Letícia trabalha 8 horas por dia, totalizando 40 horas por semana. No mês, são 200 horas de trabalho.

Mas, neste mês ela trabalhou a mais, resultado em 30 horas extras de trabalho. O salário de Letícia é R$2.500,00.

Dessa maneira, dividimos 2.500/200 (horas de trabalho no mês) = 12,5. Isso quer dizer, o valor da hora de trabalho de Letícia é R$ 12,5.

Mas, lembramos que existem os acréscimos! Vejamos abaixo o que são os acréscimos sobre hora extra.

BANNER PLANILHA CALCULAR HORA TRABALHADA

O que são os acréscimos?

Como falamos, segundo a CLT, é obrigatório um acréscimo mínimo de 50% sobre o valor da hora de trabalho comum. A porcentagem muda no caso de hora extra noturna, no feriado ou no domingo. Casos esses que vamos abordar daqui a pouco. Então, voltando ao exemplo de acima, digamos que Letícia trabalhou todas essas 30 horas em dias comerciais de semana, ou seja, de segunda a sexta.

Dito isso, a conta fica o seguinte:

Hora extra com o acréscimo de 50%: valor da hora de trabalho x 1,5 (ao calcular por 1,5, temos o valor total).

Sendo assim, seria: 12,5 x 1,5 = 18,75. Ou seja, o valor que a Letícia receberá por hora de trabalho a mais é R$ 18,75.

Agora, para saber quanto é o valor a mais no salário ao final do mês, a conta também é simples. Basta multiplicar as horas extras totais por o valor de 1 hora extra. Fica assim:

Acréscimo no salário: 30 x 18,75 = R$562,50

Então, o salário final de Letícia seria 2.500 + 562,50 = 3.062,50

Mas, e se o RH se deparar com horas extras noturnas? O cálculo muda, como você verá no próximo tópico.

Como calcular horas extras noturnas?

O horário noturno vai das 22h até 5h da manhã e pode ocorrer com alguns trabalhadores. Assim como, exigir sua prontidão nesses horários caso a função realizada seja indispensável e o colaborador tenha que atuar de forma imediata. Sendo assim, a determinação é que haja um acréscimo de 20% ao valor da hora extra diurna, ou seja, aquela que já tem o acréscimo de 50%.

Então, como fica nosso cálculo? Continuaremos usando o exemplo de Letícia, que explicamos lá em cima.

Hora extra noturna: valor da hora extra diurna x 1,2 (adicional de 20%)

= (12,5 x 1,5) x 1,2

= 18,75 x 1,2 = 22,50

E em seguida, o RH deve calcular quantas horas foram trabalhadas em horário noturno. Assim, multiplicar essas horas extras pelo valor da hora extra noturna, neste caso, R$ 22,50.

Como calcular hora extra de domingo ou feriado?

A determinação para os casos em que o trabalhador fez horas a mais no domingo ou feriado é um acréscimo de 100%. Ou seja, isso significa que é o dobro do valor por hora de trabalho. Então, para calcular as horas extras de trabalho aos domingos e feriados da Letícia, fica assim:

Hora extra domingo ou feriado: valor da hora de trabalho x 2

Hora extra domingo ou feriado: 12,5 x 2 = R$ 25

Sendo assim, basta trabalhar a quantidade de horas trabalhadas no domingo ou feriado por 25.

Mas, como fica o banco de horas?

Há empresas em que a realização de horas extras não implica em recebimento de pagamento, mas ela opta pelo banco de horas. Entender o que é o banco de horas e todas as suas regras é fundamental para o RH ter controle sobre a jornada de trabalho. Afinal, o banco de hora abre a possibilidade para que essas horas extras sejam abatidas em outro dia de trabalho normal.

Antes da Reforma Trabalhista, era necessário que o sindicato concordasse com o banco de horas. Agora, é possível fazer um acordo entre colaborador e empresa em que o banco de horas é decidido como a política de horas extras.

Em continuação com a lei, ficou decidido que essa compensação de horas deve ser feita em até 6 meses. Antes das mudanças feitas pela Reforma, o trabalhador tinha até 1 ano para tirar essa horas de folga em dias de trabalho normais.

Há uma forma de realizar o controle eficiente de horas extras?

Para descomplicar e automatizar o registro de horas extras de trabalho, muitas empresas, com o apoio do RH, têm optado por sistemas de RH. Nesse caso, os sistemas atendem às necessidades da empresa e do próprio colaborador. Um desses sistema é a Factorial. Nós possuímos um programa online voltado para resolver todas as tarefas manuais do RH.

Com a Factorial, o colaborador é capaz de indicar via aplicativo de celular, computador ou QR Code, as horas de entrada, almoço e saída do trabalho. Todo esse registro é guardado na nuvem e o RH pode decidir quem terá direito a acessar esses dados.

Assim, a equipe de RH não precisa estar vigilante sobre as horas extras do trabalhado, basta conferir ao fim do mês no programa da Factorial a quantidade de horas extras de cada funcionário. Em seguida, apontar no holerite o valor que esse funcionário deve receber. Aliás, a automatização e entrega de holerites também é feita com a Factorial!

Teste o sistema de RH da Factorial e tenha controle sobre as horas de cada funcionário! Clique na imagem abaixo!

software rh factorial

Escrito Por: Maria Esther Castedo Valdiviezo

Related Posts

Deixe um comentário